Google

quinta-feira, 12 de abril de 2007

POGO 53


Foi este o meu callsign ontem, dia 10 de Abril de 2007. POGO é o callsign utilizado para denominar o primeiro voo solo, o 53 é devido ao instrutor que me largou, Tenente Brady Marsh, ser o Texan 53. Esteve tudo planeado até o tempo nos trocar as voltas todas. Com o céu tapado de nuvens, sem visibilidade aguardou-se até às 12h21 para cancelar um voo marcado para as 11h21. Chega a hora de decisão e o voo é cancelado. Toda a preparação psicológica para o voo de largada no T-6 arrumada para um canto. Até que... o tempo se lembra de mudar e de repente abre. Céu azul, dia de primavera, quase sem nuvens no céu, parecia que tínhamos viajado para um outro lugar. O voo cancelado afinal toma efeito com cerca de 1h30 de atraso e parto para o voo que precede a largada, só para assegurar que estou definitivamente pronto para ir para os céus sozinho.

Tudo corre bem, aterra-se algum tempo para por as ideias em ordem, faz-se o briefing, trocam-se placas de nome e mandam-me sozinho para o avião. Fato anti-g, arnês, capacete, máscara, publicações, guia de voo e checklist e aí vou eu...

Chegado ao avião é altura de verificar que está tudo em ordem, verificar o livro do avião e fazer o chamado walk around (do qual podem ver parte neste vídeo).


Tudo estava ok, entrar no cockpit seguir os procedimentos com especial atenção pois não há ninguém no lugar de trás para nos alertar para o facto de nos termos esquecido de algo. Chega a primeira emoção forte, por o motor em marcha...

(é pura ilusão de óptica o hélice roda sempre na mesma direcção)
Já com tudo pronto, sistemas verificados e autorização da torre, é agora tempo de tirar os travões e começar o taxi (movimento do avião no chão) em direcção à pista em uso (31L)...


Vários circuitos, algumas aterragens (o circuito de aterragem estava bastante movimentado e não era fácil ter janela para aterrar). Tudo correu bem, como esperado, e passado pouco mais de 1h de voo, aterragem final e taxi de volta para a placa dos T-6. Mais procedimentos, cortar motor, preencher o livro do avião e regressar de uma missão bem sucedida.

Tempo agora de tradições, também na América há o banho de largada, mas por cá num tanque denominado Pogo Tank. Melhor do que descrever, é mostrar...


Avião voado e trazido em segurança de volta ao chão, tradições cumpridas, um grande sorriso nos lábios de contentamento e orgulho...

Mais uma etapa superada, mais seguirão! Se tudo correr bem, para a semana vou voar sozinho outra vez. Desta feita vou sair do circuito de aterragem e, à semelhança do meu último voo de Chipmunk, vou até à zona de trabalho fazer algumas manobras simples de acrobacia. Pequeno pormenor, o voo antes desse é a minha Mid Phase Checkride... não há-de ser nada!

Entretanto hoje tivemos mais um exame, Instrumentos 2. Assustou, mas à semelhança dos outros exames também conseguimos dominar este. Venha o próximo!

Mais coisas, chegaram há não muitos minutos o Oliveira e o Abreu ao Texas, este fim-de-semana lá teremos de ir ter com eles para os receber e cumprir tradições. Sejam bem vindos!


Um Grande abraço,
Diogo Bento

5 comentários:

Ascensão disse...

A mãe está muito orgulhosa e emocionada. Força e empenho até à asa completa. Beijos grandes.

Ricardo disse...

you fly like birds...lol
o importante e chegar ao fim c um lindo sorriso nos labios ( e sim...isto e verdade )..e se assim foi..Parabens Bro
juizo!

ricardo disse...

lololololol ;)

Anónimo disse...

ja consegues andar d aviao em terra muito bommmmmm!lolol gostei muito continua,beijinhos e ate logo
vanessa

Nuno Carvalho disse...

É assim mesmo puto. É bom saber que tudo está a correr como esperado. Grande abraço. Vemo-nos dentro de 15 dias para cumprir as tradições.