Google

segunda-feira, 31 de julho de 2006

E porque não? Faz todo o sentido!

É verdade, estou de férias! Devia ter mais tempo... tempo, por exemplo, para escrever por aqui qualquer coisa, mas não.

Só hoje, passado um sem número de horas desde a última vez que me tinha dignado a escrever algo aqui, é que tive tempo e paciência para o fazer. Verdade seja dita, já tinha tido vontade de vir aqui escrever várias coisas. Nos últimos tempos passaram-se muitas coisas interessantes e muitas delas seriam passíveis de relato. Desde a noite que antecedeu a minha viagem ao Brasil, a estadia no Brasil, o regressar (finalmente) a Santiago do Cacém para fazer aquela vida dura de dormir-praia-noite-dormir-praia... (não necessáriamente por esta ordem), o interromper as férias para realizar o exame específico para a carta de mota, até ao FMM.
Para quem não sabe, Festival Musicas do Mundo que decorreu de dia 21 a dia 25 em Porto-Covo e entre os dias 26 e 29 na cidade de Sines.
Grande festival, não só pelo prazer musical que muitas bandas conseguiram transmitir, como pelo prazer de conhecer muitas novas caras, algumas delas bem enigmáticas, e rever outras já conhecidas.

Como se tal não bastasse, neste fim-de-semana, para além do que já foi referido tive o prazer de poder contar com a companhia de três simpáticas pessoas que rumaram ao litoral alentejano para se juntarem ao grupinho habitual. Vera, Sara e Susana, os nomes das pessoas em questão. Grande companhia nos fizeram durante o fim-de-semana. Duas noites e dois dias muito agradáveis, pelo que só tenho a agradecer a vossa presença, quando quiserem voltar é só dizer.
Claro que nestas coisas há sempre algo de especial, há sempre algo que é de destacar no meio de tudo o resto. Aquela pessoa que cativa a minha atenção pronunciando apenas duas letras de uma forma tão própria que é impossível de ignorar. Essa que me faz relembrar que "a dependência é uma besta que dá cabo do desejo e a liberdade é uma maluca que sabe quanto vale um beijo", o verdadeiro valor de um beijo... Há quanto tempo não o sentia? Não consigo precisar, apenas que não foi há pouco tempo, pelo contrário, já havia demasiado tempo sem sentir essa pequena grande dádiva da vida. Obrigado gira...

No entanto nem tudo são rosas, e a juntar a isso tudo o que é bom acaba depressa (ou, tudo o que é bom dura o tempo suficiente para ser inesquecível, consoante a interpretação) e como tal chegou o domingo. Com ele "o adeus, o ficarmos sós".
É difícil dizer-se adeus a duas pessoas quase ao mesmo tempo, embora espere que ambos os adeus sirvam para nos aproximar mais. Sou (ou pelo menos tento ser) teu amigo Lala, espero que compreendas isso em todo o seu significado. Este fim-de-semana trouxe-me muitas sensações que não experienciava há muito tempo. Uma delas aquela de sentir repetidamente um pequena gota de água que brota do espelho da nossa alma, que nos tenta lavar a cara mas acaba por se perder descolando-se da cara ou regressando ao corpo de onde nasceu deixando aquele sabor salgado nos lábios. Espero que passado este tempo todo, me consigas perceber e quiçá perdoar. Ficaram muitas marcas que espero voltar a recordar contigo.

Tenho de terminar com dois tributos, sendo que num deles me vejo quase que obrigado a demonstrar o quanto gosto daquela rapariga cujo nome é de origem latina e tem como significado luz verdadeira, nome que está relacionado com um futuro promissor, em especial no campo profissional e, em geral, denomina pessoas que lutam por ideias relacionadas com a sua própria visão ética da vida, tanto a privada como a pública.
No segundo (mas não em segundo lugar), novamente agradecer por tudo o que se passou, demonstrar o meu enorme carinho e admiração pela pessoa que me fez reviver tantas coisas boas da vida em tão pouco tempo, aquela que usa um nome igualmente latino e significando verdadeira, nome que representa uma pessoa trabalhadora, que se consegue erguer diante das maiores dificuldades, conservadora... e digna, acima de tudo.

Embora com tanta letra já agrupada em palavras e frases, acho que todo este post se consegue resumir, em apenas duas palavras...
"Beijo Vera"

2 comentários:

Mumia Lala disse...

Não há nada a perdoar e como tua amiga sabes que compreendo e so quero o teu melhor e a tua felicidade...
Bj Diogo

Anónimo disse...

"nada é tao generoso como a cumplicidade enter amigos, sejam eles como forem" Ass.: Ana